Notícias


28/09/2019

Aprofundando a Palavra - Pe. Danival Milagres


“Eles tem Moisés e os Profetas, que os escutem!” (Lc 16,29)

 (XXVI Dom. TC 29-09-19)

 

            Neste domingo, Jesus nos convida à escuta obediente da Palavra de Deus, sem a qual não há vida autenticamente cristã e nem verdadeira participação no Reino de Deus.

 

Através de uma Parábola Jesus descreve a situação eterna daquele que não praticou o que Deus disse através de Moisés (cf. Dt 8,12-14) e dos profetas a respeito dos que se enriquecem e, apegados ao bem estar, ignoram Deus e não se preocupam com a ruína de José (cf. Am 6, 6s).

 

O homem descrito na Parábola absolutizou a riqueza, tornando-se cego para Deus e para o pobre. Após a morte, o rico sente que a distância criada com Lázaro se tornou um abismo eterno, pelo fato dele não ter dado ouvido à Palavra de Deus e ter se fechado à verdadeira vida de comunhão filial com Deus e de comunhão fraterna com o próximo.

 

O rico suplica o retorno de Lázaro à casa de seu pai para prevenir seus irmãos da mesma situação, mas é impossível voltar, basta que eles escutem Moisés e os profetas. Além disso, os milagres mais impressionantes são incapazes de converter as pessoas se essas não escutam atentamente a Palavra de Deus. De fato, Cristo ressuscitou, mas quantos continuam fechados no seu egoísmo e preferem viver a fé segundo as suas conveniências.

 

Na 2a leitura, São Paulo nos convida a fugir das coisas perversas e procurar a justiça, a piedade, a fé, o amor, a firmeza e a mansidão (Cf. Tm 6,11) próprias do homem de Deus, identificado com Cristo, a Palavra encarnada.

 

Enfim, a parábola de Jesus e o profeta Amós nos chamam à conversão e à sensibilidade para com o próximo, especialmente os mais necessitados, revestindo-nos de sincera caridade, pois não há maior insulto à indigência dos pobres do que o luxo desenfreado e vergonhoso dos ricos (cf. Am 6,4-6).

 

Portanto, hoje nós temos os novos profetas e pastores na vida Igreja que continuam a nos transmitir a Palavra de Deus e sua vontade. Lembremo-nos do que nos disse o Servo de Deus, Dom Luciano Mendes: “devemos aprender a viver simplesmente, para que os outros possam simplesmente viver”; e a insistência do Papa Francisco que expressou o desejo de “uma Igreja pobre para os pobres”!

 

Pe. Danival Milagres Coelho.